segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Níveis de Planejamento



Administrar uma empresa sem um planejamento é como sair para viajar sem definir o destino.


Na Gestão Empresarial é a mesma coisa. Não importa se estamos falando de uma empresa é grande, média ou pequena. Se a ferramenta utilizada vai ser o papel, planilhas e sistemas especializados. Qualquer administrador de empresas, seja ele o próprio empreendedor, sócio ou um administrador profissional sabe que toda empresa precisa planejar seu futuro.


E esse planejamento do futuro, dividi-se em três grandes blocos: Planejamento Estratégico, Tático e Operacional.

O primeiro (estratégico) refere-se àquele conduzido pela cúpula da empresa, isto é, por seus diretores. Em outras palavras, pelo nível mais elevado dentro da hierarquia da organização. Tal planejamento, inclusive, é considerado de longo prazo e abrange a empresa como um todo, ou seja, de modo sistêmico. Nele, há interação entre o ambiente interno da organização com o ambiente externo.

O segundo (tático), por sua vez, tem foco no médio prazo e sua visão é voltada ao âmbito departamental. Nele, são estabelecidas metas e construído ambiente propício para que as ações designadas no planejamento estratégico se concretizem.

O terceiro (operacional), por fim, com ênfase no curto prazo, diz respeito ao planejamento que visa a implementar os planos específicos estabelecidos no âmbito tático. Em outras palavras, enquanto o nível estratégico abarca a empresa como um todo e o tático focaliza cada departamento, tal planejamento tem foco na tarefa ou operação.


O planejamento não deve ficar restrito a apenas a alta administração ou somente a área de Planejamento e Controladoria. Quanto mais pessoas na empresa forem envolvidas no processo, maiores serem os ganhos de engajamento e comprometimento com os resultados.