sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Exportação de Produtos no Brasil



Você sabia que dos 10 principais itens mais exportados pelo Brasil, 7 são produtos do agronegócio? De acordo com a Revista Exame, o setor foi responsável por 44,1% do total das vendas externas do país no ano passado, enquanto que os mais importados tendem a ser relacionados com tecnologia, como é possível ver no nosso post sobre os produtos mais importados pelo Brasil. Com a soja ocupando o primeiro lugar, sete produtos do setor de agronegócio ficaram entre os 10 principais bens exportados pelo Brasil em 2017. A soja, carne de frango e bovina, açúcar bruto, celulose, café e farelo de soja, reunidos, foram responsáveis por 26,8% de um total de US$ 217,74 bilhões saídos do país com destino ao exterior, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Segundo informações da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, e Comex do Brasil, a relação dos 10 principais produtos exportados pelo Brasil no período de janeiro à maio de 2017, com receitas e participação nas exportações totais do Brasil, é a seguinte:

  • Soja mesmo triturada (US$ 13,3 bilhões e participação de 15%)
  • Minério de ferro (US$ 8,69 bilhões e participação de 9,9%)
  • Petróleo (US$ 7,23 bilhões e participação de 8,2%)
  • Açúcar de cana (US$ 3,2 bilhões e participação de 3,7%)
  • Automóveis (US$ 2,68 bilhões e participação de 3,0%)
  • Carne de frango (US$ 2,6 bilhões e participação de 3,0%)
  • Celulose (US$ 2,39 bilhões e participação de 2,7%)
  • Farelo de soja (US$ 2,25 bilhões e participação de 2,6%)
  • Café cru em grãos (US$ 1,99 bilhão e participação de 2,3%)
  • Carne bovina (US$ 1,76 bilhão e participação de 20%).

Os pré-requisitos para exportação de produtos

O primeiro e mais importante de todos os pré-requisitos para que a sua empresa comece a exportar é, evidentemente, que ela esteja legalmente constituída, devidamente registrada nos órgãos competentes e que tenha uma gestão profissional, compatível com os desafios que virão pela frente.

Na sequência, é importante que a empresa promova um estudo com a finalidade de avaliar a viabilidade de exportação de seus produtos. Alguns gêneros sofrem uma tributação bastante elevada ao entrarem e determinados países; em outros mercados, a concorrência é tão grande que dificilmente produtos estrangeiros conseguem uma colocação.


TIPOS DE EXPORTAÇÕES EXISTENTES


Exportação direta

Na chamada exportação direta, o produto é exportado e faturado pelo próprio fabricante diretamente ao importador. A grande vantagem de exportar utilizando essa modalidade consiste nos grandes incentivos fiscais, que podem fazer com que a sua empresa economize um bom dinheiro, aumentando sua margem de lucros, bem como a competitividade do produto no exterior (com um preço mais baixo).


Exportação indireta

Na exportação indireta o fabricante não tem contato algum com o mercado destinatário de seus produtos. Nesse caso, todo o processo de exportação é tocado por uma empresa constituída no Brasil com a finalidade de comprar produtos para, em seguida, exportá-los.




Outra exigência feita pela legislação brasileira para as empresas que desejam atuar no comércio internacional é o registro no chamado RADAR ou Ambiente de Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros. Trata-se de um sistema que permite com que a Receita Federal do Brasil monitore todas as atividades relacionadas ao comércio exterior desenvolvidas pelas pessoas físicas e empresas cadastradas, uma ferramenta importante no combate às fraudes no comércio exterior.