sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Gestão de Lojas Virtuais



Gerenciar um negócio pode apresentar diferentes desafios e exige atenção dos gestores. E-commerces, claro, não fogem à regra. Podemos dizer que no ambiente online não existe vez para amadores e é preciso estar estruturado para conseguir se destacar.

O que isso quer dizer? Que é preciso muito dinheiro para estar ali? Não, isso quer dizer que é preciso se planejar para conseguir ocupar seu espaço junto às marcas já consolidadas, como Americanas.com e Submarino, apenas para citar dois exemplos.

Mas, você sabe identificar quais são esses investimentos e o motivo deles serem vitais para seu e-commerce?

Em muitos momentos será preciso dar prioridade para algumas iniciativas e deixar de lado outras, e essa escolha pode impactar diretamente os resultados da empresa. Por esse motivo apresento o que não pode ser ignorado, mesmo quando for necessário fazer alguns ajustes no orçamento. Confira:

Segurança: uma barreira que o e-commerce sempre enfrentou foi com relação à confiança do cliente em fornecer seus dados bancários, endereço e CPF. O medo do que vai ocorrer com seus dados, embora venha diminuindo, ainda é real para uma parcela de clientes. Quando eles têm dúvidas recorrem à internet, com buscas sobre “como comprar com segurança”. E sabe o que todas essas listas dizem? Que é preciso possuir elementos como o cadeado na barra de navegação, chamado de SSL, pois ele irá proteger as informações do cliente. Uma pesquisa do Ibope Conecta apontou que 56% dos consumidores verificam se um site é seguro antes de finalizar a compra. Portanto, o investimento em SSL deve ser mantido. E se você recebe pagamento pelo próprio site, a situação é ainda mais delicada, tornando o SSL um critério básico, pois sem ele as empresas não autorizam o pagamento.

Inteligência de mercado e preço: para continuar sendo competitivo é preciso estar atento ao que a concorrência tem feito. Isso vale para campanhas, mas também para o preço praticado em sua loja. Você precisa conseguir encontrar uma equação onde o preço seja competitivo, mas que também mantenha uma margem saudável para o negócio. Softwares de gerenciamento de preço são excelentes aliados, já que além de insights de mercados, eles permitem que o valor de venda do produto, baseado em regras preestabelecidas, seja trabalhado de forma automatizada, levando em conta o comportamento do mercado.

Marketing de performance: isso é uma das regras mais básicas do e-commerce: sem anúncio, sem vendas. O Brasil possui mais de 450 mil lojas online, ou seja, quando o cliente for buscar por um determinado produto ele vai encontrar uma quantidade enorme de opções, mas como se destacar? Anunciando, claro! Se o cliente não souber que sua loja existe, ele não vai comprar com você. Mas, muitos lojistas podem argumentar que o ROI tem sido baixo e que as contas não estão fechando. Cuidado com esse tipo de pensamento: talvez o problema não esteja no valor investido, mas sim na forma como isso tem sido feito.

E agora cabe uma reflexão importante: é preciso saber quais canais devem ser priorizados na gestão de performance de sua loja. Na verdade, você precisa ser capaz de identificar os canais que mais trazem resultado para seu negócio, e como cada categoria performa neles.

Por exemplo, você pode anunciar produtos de linha branca no Facebook Ads, retargeting e Buscapé, mas apenas este último gerar retorno (ROI e receita) e as outras oscilarem ou apresentarem resultados pouco representativos.





A tecnologia é nossa aliada, mas é preciso estar preparado e possuir as ferramentas certas, assim, todas as decisões serão pautadas em números exatos e o e-commerce diminuirá as chances de cometer erros, mesmo com a necessidade de alterar o investimento.