domingo, 25 de novembro de 2018

Internacionalização de Pequenas e Médias Empresas


O processo de globalização dos mercados inseriu as pequenas e médias empresas (PMEs) no ambiente competitivo internacional, antes quase inteiramente restrito às grandes empresas. No entanto, o modo como as PMEs brasileiras se envolvem com o mercado internacional é ainda pouco conhecido, devido ao pequeno número de pesquisas empíricas realizadas neste campo. 

O presente estudo relata e discute características centrais do processo de expansão internacional das PMEs brasileiras. A análise concentra-se nos fatores críticos que caracterizam esse processo, particularmente nas decisões estratégicas tomadas, nos principais problemas enfrentados e nas práticas utilizadas pelos empreendedores ou dirigentes das empresas que buscam o mercado internacional. Para a investigação desses aspectos, um questionário foi enviado por via postal e por meio eletrônico para 226 PMEs brasileiras com algum grau de internacionalização. Destas, 52 empresas devolveram questionários aproveitáveis para a pesquisa. 



As vulnerabilidades das MPEs no confronto com o mercado externo são diversas, como:

  • o desconhecimento dos mercados e a diminuta capacidade de explorar as oportunidades que neles se oferecem,
  • o baixo volume de produção para atender a grandes compradores,
  • a falta de capacidade de competir de seus produtos (valor agregado, inovação),
  • a ausência de mão de obra capacitada,
  • as dificuldades de acesso ao crédito e a outros produtos financeiros, e,
  • o custo-Brasil (câmbio valorizado, impostos elevados, burocracia, infraestrutura precária) que afeta os pequenos negócios mais que os grandes.




É crucial neste momento intensificar as exportações com iniciativas plausíveis e realistas. Mais uma vez o comércio eletrônico surge como alternativa a esse processo, ao viabilizar negociações entre fornecedores e compradores das mais diversas regiões do mundo.