sábado, 22 de dezembro de 2018

Criação de Novas Empresas


O desenvolvimento econômico de um País é balizado pela importância de suas empresas. A atividade econômica baseia-se principalmente no processo de criação de empresas. Isto tem ocorrido em decorrência do aspecto empreendedor de pessoas que assumem riscos para verem suas idéias se transformarem em realidade.

Segundo Schumpeter (01) empreendimento é a realização de combinações novas, e empresários são os indivíduos cuja função é realizá-las. Assim o empresário enquanto está montando sua empresa será um empreendedor, passando a segunda condição quando começa a dirigi-la. Aprofundando a conceituação, o mesmo autor descreve algumas características próprias destes empresários, tais como engenhosidade. liderança, autonomia, entre outras.

O papel econômico e social das pequenas empresas tem sido demonstrado em inúmeros estudos. Como conseqüência tem-se procurado identificar as características de empreendedores buscando desenvolver programas que venham a reforçar os comportamentos considerados como típicos de um empreendedor bem sucedido.


As pesquisas realizadas sobre o desempenho de novas empresas se concentraram principalmente em analisar a influência das características e dos recursos dos empreendedores e das empresas sobre este desempenho. Poucos foram os estudos que investigaram a influência do processo de criação de uma empresa sobre o seu desempenho. 

Os resultados indicam que o desempenho e a rapidez com que estas atividades são realizadas são dois fatores independentes, que não exercem efeitos um sobre o outro. Sobre o segundo elemento – o grau de dificuldades encontrado –, os resultados mostram que no processo de criação existem dificuldades ligadas aos recursos financeiros (acesso e gestão) e ao mercado (compreensão, avaliação e acesso) que influenciam o desempenho das novas empresas.





O número de empresas no Brasil está crescendo a cada ano. E, mesmo diante da crise econômica, houve um aumento dos Microempreendedores Individuais (MEI).